Amamentação

Em conversa com a Nutricionista Materno-Infantil Nadeje Brant, pedimos a mesma que falasse um pouco sobre a importância do aleitamento materno para as mamães e as futuras mamães. Em breve teremos mais dicas

A Organização Mundial da Saúde preconiza que a primeira mamada ocorra logo na primeira hora de vida do bebê.

Todas as mamães e futuras mamães sabem da importância incontestável da amamentação para seu filho e para a saúde da mãe. É muito importante que a amamentação ocorra da forma mais natural possível e que a mãe esteja relaxada e em uma posição confortável. A pega do bebê no seio da mãe deve ocorrer da forma correta, para que ele consiga sugar a quantidade necessária de leite e evitar lesões no bico do seio.

Nos primeiros dias de amamentação o bebê receberá uma substância viscosa, meio transparente e rica em proteínas conhecida como colostro
A descida do leite costuma ocorrer em torno do terceiro dia pós-parto. Neste período o bebê necessita apenas do colostro. Quanto mais o bebê suga, mais a produção de leite é estimulada. Um ambiente tranqüilo e sem estresse, a ingestão adequada de líquidos e a própria amamentação, ou seja, o estímulo da sucção do bebê por meio da livre demanda são fatores que interferem diretamente na produção do leite materno.

Após a descida do leite, este sofre mudanças graduais até assumir as características do leite maduro, o que ocorre por volta do 25º dia após a chegada do bebê. A útima fase é a do leite maduro, que ocorre a partir do 25º dia de pós-parto. Nesse período, a estrutura nutricional do leite irá acompanhar o amadurecimento do bebê.

A constituição do leite ao longo da mamada se divide em etapas. Nos primeiros minutos, ele parece mais aguado e contém fatores de proteção importantes para o sistema imunológico. A fração do meio é rica em proteínas e minerais como cálcio e fósforo. Já no final da mamada, o líquido é mais espesso e rico em gorduras. Por isso é importante o bebê sugar até esvaziar a mama. Destaca-se ainda a importância do aleitamento materno exclusivo até os 6 meses de idade e da amamentação prolongada até os 2 anos ou mais, de acordo com recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial de Saúde.

 

Nadeje Brant

Nutricionista clínica e pediátrica

Graduada Nutrição – Centro Universitário Newton Paiva

Pós-graduação Nutrição Clínica  -Universidade Gama Filho

Atualização Terapia Nutricional em Pediatria – GANEP

Pós-graduação Nutrição Materno-Infantil – Estácio de Sá (em curso)

Contatos: nadejebrant@yahoo.com.br  ou (31) 9.8812-4350